Galvão

"Eu prendi o Lula em 1979 na Vila Euclides"
58 anos
Viaduto do Chá, São Paulo, SP

O motivo da investigação

O Fale com Estranhos tem algumas regras de conduta – poucas, porque o espírito libertário é algo que realmente nos move. Mas uma delas, em particular, procuramos seguir à risca: não investigar a vida dos nossos entrevistados. Dar um Google no nome completo da pessoa – que consta da Autorização de Uso de Imagem, documento jurídico em que as pessoas concordam com os termos da intervenção –, procura-la no Facebook, descobrir que amigos temos em comum? A tentação é imensa, mas não, não fazemos isso. O motivo disso, explicaremos depois.

Há alguns dias, no entanto, burlamos essa regra. Galvão, um senhor de 58 anos de idade, apresentou-se para dar o seu depoimento em uma tarde nublada do Viaduto do Chá, em São Paulo. “Vocês são estranhos, eu também”, ele gracejou, antes de se sentar no banquinho branco e começar a contar a sua história.

Entre revelações que não foram parar no vídeo editado – como a de que levou 8 tiros e ganha a vida concedendo empréstimos para cidadãos comuns –, o homem contou que prendeu o ex-presidente Lula em 1979. Na hora, não me ocorreu – perdão – que a prisão tinha sido, na verdade, em 1980. Dada a minha ignorância histórica, Galvão continuou com seu relato, sem ser contrariado.

O depoimento foi realmente pesado. Tão pesado que, depois, só gravamos mais uma entrevista. Meio fraquinha, porque estávamos muito focados no Galvão para conseguir interagir a contento com a linda menina de olhos azuis que falava sobre seu sonho de conhecer o mundo. Decidimos recolher o equipamento e encerrar os trabalhos por ali. No caminho para o estúdio, sugados pelos relatos assustadores que foram feitos com a câmera desligada, decidimos burlar a regra de não investigar nossos entrevistados a posteriori.

Aqui cabe outra explicação sobre a proposta do Fale: não estamos atrás de verdades documentadas. Se alguém quiser sentar no banco e contar a maior falácia deste mundo, tudo bem. Procuramos a verdade momentânea – um mitônamo que relate o dia em que teve um infarto à beira de um vulcão na Ásia talvez esteja sendo mais sincero do que um sujeito que mostre documentos sobre a falência de sua empresa. Mentiras sinceras, de fato, nos interessam.

Mas, no caso de Galvão, era preciso investigar. Afinal, ele contara uma história que envolvera um ex-presidente da República. Fato histórico ou alucinação? De volta ao estúdio, editamos o material com sofreguidão – ah, a excitação laboral! – e enviamos um link privado no Vimeo para o jornalista e escritor Fernando Morais, que no momento escreve um livro sobre o ex-presidente Lula. Fernando, que desconhecia a tal suposta prisão de 1979, enviou o material para Lula – que confirmou não ter sido preso na ocasião, tampouco no lugar, e muito menos pelo homem que aparecia no vídeo.

É a vida.

Adriana

Postado dia 24 de novembro de 2014
Comente (3)